Blog

Conheça as diferenças entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista

diferença entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista

Há, frequentemente, uma dúvida sobre a diferença entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista. Embora todos estes profissionais possam trabalhar em campos ligados à saúde mental, ao que sentimos e pensamos, diferenças importantes podem ser identificadas.

Tais divergências concentram-se na formação do profissional, no modo de compreender o complexo fenômeno do comportamento humano e, consequentemente, nos métodos de intervenção.

Por isso, para te ajudar a sanar essas e outras dúvidas, neste artigo você confere:

  • Diferença entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista
  • Quando deve-se procurar um psiquiatra?
  • Quando é a hora de procurar um psicólogo?
  • Conheça os tratamentos oferecidos pelos profissionais do Inpa
  • Como realizar o agendamento no Inpa

Diferença entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista

Muitas pessoas confundem e não sabem a diferença entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista.

Tanto psiquiatras quanto psicólogos, entendem como o cérebro funciona: nossas emoções, sentimentos e pensamentos. Ambos podem tratar doenças mentais com tratamentos de terapia.

Mas, o que cada profissional faz?

Quais são as funções de um psicólogo?

O psicólogo é um profissional que concluiu a graduação em Psicologia, podendo atuar na área clínica, organizacional, educacional, esportiva e outras.

Pode, ainda, atuar com pesquisa em universidades, contribuindo assim para descobertas sobre as variáveis relacionadas ao comportamento humano, normal ou desviante, nos mais variados contextos.

Para atuar na área clínica, o psicólogo geralmente complementa a sua formação com cursos. Ele utiliza a psicoterapia, um conjunto de técnicas para intervir nos problemas emocionais, comportamentais e/ou transtornos mentais.

Na psicoterapia, o psicólogo, através da mediação verbal, conduz o seu paciente a um processo em que este se torna mais consciente das atitudes que toma. Além disso, busca proporcionar a ele, a aprendizagem de novos comportamentos para lidar com as suas dificuldades.

O psicólogo que trabalha com psicologia clínica é também chamado de psicoterapeuta. Embora a psicoterapia derive de teorias psicológicas, o psiquiatra com treinamento adicional tem, também, utilizado a psicoterapia e se identificado como psicoterapeuta.

o que faz um psiquiatra

Quais são as funções de um psiquiatra?

O psiquiatra é um profissional com formação em Medicina e com especialização em Psiquiatria. Após a faculdade, então, faz residência em instituições de saúde mental, clínicas e hospitais psiquiátricos.

Os conhecimentos desta área e especialidade médica concentram-se nos comportamentos que fogem à “normalidade”.

Dessa forma, o médico psiquiatra está preparado para lidar com os mais variados transtornos mentais (depressão, esquizofrenia, etc). Ele faz uso do sistema de diagnóstico baseado em manuais como CID10 – Código Internacional de Doenças e DSM-IV – Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais

Uma das principais formas de intervenção utilizada por este profissional, é a prescrição de medicamentos, como por exemplo, antidepressivos, ansiolíticos e outros psicofármacos.

Quais são as funções de um psicanalista?

Já o psicanalista, que muitas vezes é psicólogo ou médico, normalmente, de maneira posterior, faz um curso numa instituição psicanalítica e submete-se à Psicanálise. Ele atende pessoas com demandas análogas àquelas apresentadas ao psicólogo e psiquiatra.

Na Psicanálise, são utilizadas as teorias da personalidade e métodos de tratamento introduzidos por Sigmund Freud. Embora muito difundida, diferente da Psiquiatria e da Psicologia, a Psicanálise não possui status científico. 

Pesquisas citadas nas publicações da OMS – Organização Mundial de Saúde e NIMH – National Institute of Mental Health (Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA), têm apontado a combinação de psicofármacos e psicoterapia (tratamento psicológico), como uma das formas em que as pessoas mais se beneficiam quando carecem de intervenção para algum transtorno mental.

qual profissional escolher

Como saber se devo procurar um psicólogo ou psiquiatra?

Se você deseja falar sobre o que o incomoda ou se precisa de ajuda, nem sempre é fácil identificar a diferença entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista. 

Além disso, muitas vezes você não tem certeza de quem precisa: um psiquiatra ou um psicólogo? 

Normalmente, é sua preferência pessoal que decide qual o prestador de cuidados que você deseja escolher. Ainda assim, há certas síndromes que são mais facilmente tratadas com medicação ou terapia, no caso, indicados por psiquiatra e psicólogo, respectivamente.

Nessa situação, você precisa procurar a pessoa especializada no tipo específico de tratamento.

Quando deve-se procurar um psiquiatra?

Muitas pessoas que possuem problemas de saúde mental (leves ou graves), em alguns casos, não procuram ajuda porque têm vergonha ou não sabem ao certo a diferença entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista. 

Ser capaz de reconhecer quando alguém pode precisar de ajuda é importante, e vários sinais indicam que uma avaliação psiquiátrica é uma boa ideia.

Aqui estão alguns sintomas que podem indicar a necessidade de procurar um psiquiatra:

Incapacidade de controlar emoções

Todo mundo já passou por momentos de tristeza, raiva ou irritação, afinal, esses são sentimentos normais da vida. No entanto, quando alguém possui emoções excessivas e se sente incapaz de controlá-las, é uma indicação de que um psiquiatra pode ajudar. 

Aprender a gerenciar efetivamente as emoções, pode ajudar a evitar uma situação mais grave.

alterações do sono

Alterações nos padrões de sono

A qualidade do sono pode dizer muito sobre a saúde mental. Problemas para adormecer (como a insônia), acordar cedo demais ou acordar várias vezes durante a noite, são exemplos de desequilíbrio no sono.

Infelizmente, a falta de sono também não nos ajuda a lidar com os sintomas de uma doença mental e nem a identificá-los, causando um ciclo de feedback negativo e constante.

Uso de substâncias prejudiciais

Pessoas com problemas de saúde mental podem recorrer ao álcool, tabaco ou outras drogas para auxiliar a lidar com as situações.

Seja para ajudar a relaxar ou a viver com o estresse constante da vida, certamente o uso de substâncias prejudiciais à saúde do corpo não será benéfico para a saúde da mente, caso a pessoa precise utilizá-las regularmente para não se sentir infeliz.

Alterações no desempenho na escola ou no trabalho

Um sinal de que consultar um psiquiatra pode ser necessário, é se uma criança ou adolescente estiver com problemas sociais ou acadêmicos.

Isso também é válido para adultos que podem começar a perder prazos ou ter dificuldade em se concentrar nas tarefas do trabalho, por exemplo.

Doenças físicas inexplicáveis

A saúde mental e a saúde física, estão diretamente relacionadas. Por isso, um sinal de que um psiquiatra pode ajudar, é quando alguém possui doenças físicas recorrentes sem uma causa específica.

Os sintomas típicos incluem dor de estômago, dores de cabeça e dores vagas, que podem ter origem emocional, e não física.

Ansiedade, preocupação ou tristeza excessivas

Um psiquiatra pode ajudar quando alguém se sente excessivamente triste ou se preocupa constantemente com tudo a sua volta. 

Em casos mais graves, talvez seja necessário o acompanhamento psiquiátrico. A medicação pode ajudar a reduzir os sintomas e controlar algumas alterações atreladas ao quadro.

Quando é a hora de procurar um psicólogo?

Dizer a alguém que ele(a) deve ir à terapia ou que ele(a) precisa de um tratamento psicológico, pode ser assustador para a pessoa.

Mesmo sendo difícil assistir a um ente querido lidar com os problemas de saúde mental, é importante que as pessoas escolham procurar ajuda por conta própria – desde que não estejam colocando a si mesmas ou a outras pessoas em perigo.

Por isso, sugere-se considerar a terapia quando algo causa angústia e interfere em alguma parte significativa da vida, principalmente quando alguém:

  • passa horas por dia pensando no problema; 
  • o problema causa vergonha ou faz a pessoa querer evitar os outros;
  • a situação causa uma diminuição na qualidade de vida;
  • o conflito afeta negativamente a escola, o trabalho, a faculdade, os relacionamentos, ou
  • a pessoa fez mudanças em sua vida ou teve que desenvolver novos hábitos para lidar com o problema.

É especialmente importante considerar a possibilidade de obter ajuda caso a pessoa de sinta controlada pelos sintomas ou se eles puderem causar danos a si mesmo ou a outras pessoas.

Assim, se você sentir alguma das seguintes emoções ou sentimentos na medida em que eles interfiram na vida, a terapia pode ajudá-lo a reduzir seus efeitos.

1. Sobrecarga

Você pode sentir que possui muitas coisas para fazer ou muitos problemas para lidar. Sente que não consegue descansar ou mesmo respirar normalmente. O estresse e a sobrecarga podem levar a sérias preocupações com a saúde física também.

2. Fadiga

A fadiga pode não ser causada por doenças subjacentes, e algumas causas comuns são falta de sono, esforço pesado, refeições exageradas ou envelhecimento.

Entretanto, esse sintoma físico também pode ser o resultado de problemas de saúde mental, podendo até indicar depressão.

Além disso, a fadiga pode fazer com que você durma mais do que o normal ou tenha problemas para dormir, por exemplo.

3. Raiva desproporcional e ressentimento

Todo mundo sente raiva às vezes, e ela não é necessariamente prejudicial. Mas, buscar apoio para lidar com esse sentimento pode ser uma boa ideia quando ele não passa, é extremo em comparação com a situação ou se o leva a tomar ações violentas ou potencialmente prejudiciais.

4. Agorafobia

Pessoas com agorafobia temem estar em lugares onde possam sofrer ataques de pânico ou ficar presos. Algumas pessoas podem até ficar impossibilitadas de sair de casa por causa do medo excessivo em se encontrar em multidões e aglomerações.

5. Pensamentos ansiosos 

É normal se preocupar com as coisas de tempos em tempos, mas quando a preocupação ocupa uma parte significativa do seu dia ou causa sintomas físicos, a terapia pode ajudá-lo a lidar com isso.

apatia

6. Apatia

Perder o interesse pelas atividades habituais, pelo mundo à sua volta ou pela vida em geral, pode indicar problemas de saúde mental, como depressão ou ansiedade.

7. Desesperança

Sentir-se sem esperança em um momento específico, principalmente após um período de dificuldade, não é incomum. Mas quando persiste, pode levar a pensamentos prejudiciais.

Perder a esperança, a motivação ou sentir-se como se não tivesse futuro, pode indicar depressão ou outra condição de saúde mental.

8. Retraição social

Muitas pessoas se sentem melhor quando conseguem passar pelo menos algum tempo sozinhas. Pessoas introvertidas podem precisar de ainda mais tempo sozinhas do que outras.

Mas, se você se sentir angustiado com os outros ou temer estar com outras pessoas, a terapia pode ajudá-lo a entender e lidar com esses sentimentos.

Conheça os tratamentos oferecidos pelos profissionais do Inpa

Terapias para você

psicoterapia individual

Psicoterapia Individual

A psicoterapia é, provavelmente, a mais clássica e mais conhecida modalidade de terapia psicológica. O leigo em Psicologia evoca com facilidade a cena em que psicólogo e paciente encontram-se para o atendimento clínico.

Por isso, pessoas que nunca passaram pela psicoterapia costumam se perguntar: Qual a finalidade de uma pessoa procurar um psicólogo? Ela está “ficando doida”? Que tipo de problemas não consegue resolver sozinha?

Em Brasília, o Inpa dispõe de um corpo clínico especializado em psicoterapia seguindo a abordagem comportamental.

São profissionais filiados às principais entidades representativas da área no Brasil, ABPMC – Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental e ACBr – Associação Brasileira de Análise do Comportamento.

Terapia Sexual

A terapia sexual é o tratamento das disfunções ou inadequações sexuais. Portanto, caso perceba algum indício de disfunção sexual, procure um terapeuta sexual.

No Inpa, a formulação clínica sobre as dificuldades sexuais do cliente de terapia sexual é feita de forma individualizada, adequando-se as técnicas de intervenção ao tratamento específico, o que acelera a resolução do problema e previne recidivas.

Cursos Online

Dados da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) apontam que a educação a distância (EaD) é cada vez mais procurada pelos brasileiros.

A crescente disponibilidade dos computadores com acesso à Internet somado a difusão já existente de rádio, televisão e outros meios de comunicação, aumentaram as viabilidades de emprego pela educação a distância.

O Inpa ministra cursos online na área da Psicologia para psicólogos e alunos desse curso, bem como cursos de desenvolvimento pessoal voltados a qualquer pessoa, independente da área de formação.

Palestras

Fique atento e veja os vários temas abordados nas nossas palestras presenciais e online no nosso site.

Terapias para família

terapia familiar

Terapia familiar

A Terapia Familiar tem como objetivo auxiliar a família na manutenção de relações harmoniosas entre os seus membros.

Além disso, pode ter como foco o tratamento de um de seus membros. O alcoolismo do pai ou a depressão da mãe são exemplos que podem despertar para necessidade de intervenção, por exemplo.

Terapia de casal

O objetivo da terapia de casal, também chamada de terapia conjugal, é favorecer o desenvolvimento de comportamentos que conduzam a um melhor relacionamento do casal.

Por isso, o terapeuta de casal auxilia a entender a história individual dos cônjuges e a história do relacionamento conjugal.

Dessa forma, a partir do conhecimento das preferências e das necessidades individuais e do casal, podem ser traçados objetivos comuns para os parceiros, para que o casal engaje de forma mais satisfatória no relacionamento.

Terapia infantil

A constatação de que a criança com dificuldades psicológicas está tentando resolver um problema do meio onde ela está inserida, difere da visão simplista de que ela estaria criando outros problemas, e conduz a um importante ponto da Psicoterapia Comportamental Infantil: o modelo triádico de atendimento.

O terapeuta, através de sua relação genuína com a criança, inicia um processo de mudança comportamental dentro do consultório.

O objetivo é que estes progressos se voltem para os ambientes naturais da criança. Assim, ela conseguirá se comportar de forma a se sentir bem em todas as esferas de sua vida.

credibilidade inpa

Como realizar o agendamento no Inpa

Por meio do nosso site, você pode agendar a sua sessão de psicoterapia. Escolha a modalidade de atendimento que você procura e entre em contato conosco.

Além do site, você também pode marcar o seu atendimento ligando para (61) 3242-1153 ou mandando um WhatsApp para 3242-1153.

Realizamos terapia online

Inpa –  Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília, DF

Fábio Augusto Caló

@fabiocalo - Psicólogo pelo UniCEUB e mestre em Análise do Comportamento pela UnB. Atua desde 1998 como clínico, atendendo adultos e casais. Há duas décadas, tem realizado atendimentos, principalmente, na área da conjugalidade, da sexualidade e dos transtornos de ansiedade. Tem se interessado e pesquisado sobre assuntos atuais como "dependência de internet", "vício em pornografia", "traição online", dentre outros. É palestrante e instrutor de cursos de desenvolvimento pessoal e cursos dirigidos a profissionais da saúde.

Você deve estar logado para postar um comentário.

×