Blog

Transtorno compulsivo alimentar periódico

transtorno compulsivo

O que é?

O transtorno compulsivo alimentar periódico é um quadro em que a pessoa come compulsivamente ou consome quantidade exageradas ou anormais de alimento. Além disso, a pessoa se sente incapaz de parar de comer e, assim, perde o controle da situação. 

Vale ressaltar que para se classificado como transtorno compulsivo, é necessário que os episódios ocorram, no mínimo, duas vezes por semana, durante um período de seis meses. 

O transtorno compulsivo pode ocorrer tanto em mulheres quanto em homens. Ainda, é comum que essa condição desencadeie um ganho de peso e, até mesmo, a obesidade. No entanto, o transtorno também acontece em pessoas com o peso normal.

A pessoa com o transtorno lida com emoções e comportamentos de repulsa, de raiva, de vergonha e de culpa. Em razão disso, é comum que o quadro esteja ligada com outras condições psicopatológicas, como a depressão e ansiedade.

O transtorno compulsivo é visto como um ciclo viciosos. Afinal, a pessoa para lidar com os sentimentos negativos, normalmente, consome mais alimentos. 

O transtorno traz sérios risco a qualidade de vida e a saúde do corpo humano. Assim sendo, é importante que haja o tratamento com uma equipe multidisciplinar.

Sintomas do transtorno compulsivo

Como citado anteriormente, na maioria dos casos, as pessoas com transtorno compulsivo estão com sobrepeso ou com obesidade, mas há pessoas que têm o peso normal.

O sobrepeso e a obesidade podem gerar diversos outros sintomas que podem deixar o quadro do transtorno mais complexo e complicado.

Desse modo, os principais sintomas e sinais são:

Comportamentais e emocionais

  • Necessidade de comer quantidades exorbitantes de alimentos durante um período de tempo específico.
  • Sentimento de descontrole do próprio corpo.
  • Necessidade de comer mesmo estando cheio ou sem fome.
  • Característica de comer muito rápido, sozinho ou até ficar extremamente cheio.
  • Sentimento de vergonha, depressão, culpa, chateação.

Físicos

  • Enjoos, vômitos e diarreias, causados pela quantidade exagerada de alimentos.
  • Mudanças significativas de peso, que podem oscilar tanto para cima quanto pra baixo.
  • Dificuldade de concentração.
  • Cãibras no estômago, constipação e refluxo.

Ademais, diferente da bulimia, a pessoa após um episódio de compulsão não compensa as calorias extras por meio de vômitos, laxantes ou exercícios físicos. 

Todavia, indivíduos com o transtorno compulsivo podem tentar realizar dietas e comer quantidades normais, mas restringir a dieta, geralmente, acarreta mais episódios de compulsões alimentares.

O nível de gravidade do transtorno é medido pela frequência em que os episódios ocorrem, durante o período de uma semana.

Causas

As causas do transtorno compulsivo, ainda, não são bem definidas. Em virtude disso, há diversos fatores de risco que podem ser o agentes causadores, como:

  • Genética: pessoas que têm familiares com o quadro têm maiores chances de desenvolver o transtorno.
  • Gênero: o transtorno é mais comum em mulheres do que em homens, o fato pode ser explicado por fatores biológicos subjacentes e padrões comportamen das mulheres.
  • Mudanças cerebrais: há estudos que mostram que pessoas com o transtorno compulsivo podem ter alterações estruturais no cérebro.
  • Imagem corporal e estrutura do corpo: pessoas com o quadro tendem a ter obesidade e uma visão corporal muito negativa.
  • Traumas: pessoas com essa situação podem ter passados por situações traumáticas na primeira infância, como abuse, morte ou separação.

Ainda, os episódios de compulsão podem ser desencadeados por:

  • estresse;
  • dieta;
  • sentimentos negativos;
  • tédio;
  • disponibilidade de alimentos.

Tratamento do transtorno compulsivo

O tratamento do transtorno compulsivo é realizado de acordo com a gravidade e causas da condição.

Dessa maneira, o tratamento pode ter como foco os comportamentos alimentares compulsivos, a imagem corporal, problemas psicológicos, excesso de peso e, até mesmo, uma combinação deles.

As principais formas de tratamento é por meio de sessões de terapia. A terapia comportamental é uma das formas de tratamento mais eficientes. 

Entretanto, pessoas com o transtorno compulsivo devem fazer acompanhamento gastrointestinal, nutricional e psiquiátrico.

Procure ajuda psicológica e médica para a melhor forma de tratamento.

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil.

Fábio Augusto Caló

@fabiocalo - Psicólogo pelo UniCEUB e mestre em Análise do Comportamento pela UnB. Atua desde 1998 como clínico, atendendo adultos e casais. Há duas décadas, tem realizado atendimentos, principalmente, na área da conjugalidade, da sexualidade e dos transtornos de ansiedade. Tem se interessado e pesquisado sobre assuntos atuais como "dependência de internet", "vício em pornografia", "traição online", dentre outros. É palestrante e instrutor de cursos de desenvolvimento pessoal e cursos dirigidos a profissionais da saúde.

Você deve estar logado para postar um comentário.

×