Blog

Como não falhar na hora H: confira as melhores dicas

como não falhar na hora h

Muitas pessoas se perguntam se há alguma técnica que ajude no temor do desempenho sexual. E, de forma mais casual, se há algum método que auxilie o homem a como não falhar na hora H.

Entretanto, muito embora, nós psicólogos que temos formação em Análise do Comportamento, não gostemos de receita de bolo, a resposta é que há sim formas de aumentar as chances de que um homem tenha e mantenha a ereção no momento da relação sexual.

agendamento

O sexo precisa ser agradável, mas há uma série de fatores que podem interferir no desempenho de uma pessoa. É preciso analisar diferentes pontos e condições para entender o que realmente prejudica a pessoa na hora H.

Nesse artigo, abordamos:

  • Como não falhar na hora h: confira as dicas
  • Como não falhar na hora h e controlar a ansiedade?
  • Ocorrência da perda de ereção
  • Causas do temor do desempenho sexual
  • As consequências da disfunção erétil
  • Terapia para impotência – Inpa
  • Cultura e sexo

Como não falhar na hora h: confira as dicas

Há diversas dicas e formas que podem ajudar um homem a não falhar na hora h. Algumas das principais são:

1. Tente não ficar ansioso com sua performance

Ansiedade de desempenho e disfunção erétil podem estar ligadas de várias maneiras. O estresse e a ansiedade em ter um bom desempenho sexual ou agradar um parceiro(a) podem causar disfunção sexual.

Quando essas expectativas sexuais pessoais não são atendidas, isso pode levar a uma sensação descendente de indignação e incapacidade, por exemplo.

Nos homens, esses sentimentos de inadequação e baixa autoestima podem se transformar em sintomas físicos.

2. Foque no que dá prazer

Como não falhar na hora h? Durante a atividade sexual, se concentrar na experiência sensorial, em vez de analisar o evento, pode ajudar.

Foque no que as mãos estão sentindo ou no que os olhos estão vendo. Isso pode ajudar a bloquear pensamentos ansiosos sobre o desempenho. Usar velas perfumadas ou música romântica também pode auxiliar na experiência sensorial e servir para diminuir o nervosismo.

3. Elimine ou reduza o uso de substâncias psicoativas

Estudos comprovam que algumas substâncias podem diminuir o desejo sexual e a ereção. Por isso, não tome remédios sem prescrição, e se for uma medicação prescrita, procure seu médico para discutir alternativas e soluções.

disfunção erétil

4. Não pratique masturbação antes do sexo

Diversas pesquisas mostram que a masturbação, durante horas ou dias antes do sexo, pode diminuir a capacidade eretiva para alguns homens. 

Se a masturbação estiver aparelhada com pornografia, procure eliminar essa prática também, já que assistir a um filme pornô poderia levar à masturbação e atrapalhar o processo de como não falhar na hora h.

5. Evite o excesso do uso de Viagra e Cialis

O Viagra e o Cialis ajudam a melhorar o desejo, a ereção, e consequentemente, a performance. Entretanto, com o passar do tempo, eles vão estabelecer um quadro de dependência psicológica, o que traz mais insegurança e ansiedade diante da hora h.

Para uma leitura mais detalhada sobre disfunção erétil, acesse o artigo sobre esse tema, clicando aqui.

6. Conheça seu corpo

Em vez de focar no resultado negativo, conhecer o seu corpo pode ajudar a identificar qual estressor ou preocupação influenciou os sintomas da disfunção erétil. 

Mudar o foco para a causa, e não os sintomas, pode ajudar uma pessoa a descobrir como não falhar na hora h.

7. Evite pensamentos negativos e se concentre no momento

Muitos homens podem ficar nervosos ou ansiosos com sua performance. 

Em virtude disso, é comum que ocorra problemas na ereção ou um mau desempenho sexual. 

Portanto, vá para a relação sexual sem expectativas, curta o que for possível e aproveite por completo o momento, sem preocupações externas.

exercícios

8. Pratique exercícios físicos

Uma pesquisa observou que fazer pouco ou nenhum exercício físico está associado a sintomas de disfunção erétil. Uma simples rotina de exercícios de 20 a 30 minutos, algumas vezes por semana, também pode reduzir os níveis de estresse.

Além do exercício geral, exercícios específicos também podem ajudar com os sintomas. Exercícios pélvicos, como os exercícios de Kegel, podem ajudar a fortalecer o músculo responsável por bombear sangue para o pênis durante a ereção. 

9. Evite o uso de cigarros e bebidas alcoólicas

O risco de fumar e beber, para a saúde erétil, é devido aos efeitos dos produtos químicos do cigarro e do álcool nos vasos sanguíneos do pênis. Uma ereção ocorre quando as artérias do pênis se expandem e se enchem de sangue após receber sinais dos nervos. 

Os nervos respondem aos sinais de excitação sexual do cérebro, por isso, mesmo se o sistema nervoso estiver funcionando bem, uma ereção pode não ser fisicamente possível.

Como não falhar na hora h e controlar a ansiedade?

Muitas outras técnicas são usadas para tratar a ansiedade de desempenho. Isso inclui coisas como:

  • meditações guiadas, como terapia por imagens;
  • aconselhamento de casais;
  • terapia sexual;
  • educação sexual e
  • redução do estresse

Além disso, também pode ser útil para o homem se abrir com a parceira(o) sexual sobre sua ansiedade de desempenho. Isso pode reduzir o estresse e a parceira(o) pode ajudá-lo a encontrar soluções para aliviar a ansiedade.

disfunção

Ocorrência de perda de ereção

Digo sempre aos meus pacientes de terapia sexual que perder a ereção uma ou até algumas vezes não forneceria critérios suficientes para o diagnóstico de disfunção erétil.

Contudo, o impacto emocional da perda da primeira ereção para alguns homens pode ser catastrófica e incapacitante.

Se a(o) parceira(o) reagir mal diante da perda de ereção, criticando, culpando ou se vitimizando diante do problema, a tendência é que o evento fique marcado negativamente na memória de quem perdeu a ereção.

Além disso, muitos homens passam a desenvolver um quadro de posteriores perdas de ereção e isso passa a configurar o diagnóstico, algum tempo depois.

Por isso, o efeito de história da perda de ereção passa a assumir o controle da situação e deixa o homem ainda mais ansioso sobre como não falhar na hora h. 

Causas do temor do desempenho sexual

O sexo é mais do que apenas uma resposta física. Suas emoções também têm algo a ver com isso. Quando sua mente está estressada demais para se concentrar no sexo, seu corpo também pode não ficar excitado.

Muitas preocupações diferentes podem levar ao problema:

  • medo de não satisfazer seu parceiro sexualmente;
  • má imagem corporal, incluindo preocupação com o seu peso e autoestima;
  • problemas no seu relacionamento;
  • preocupação com o tamanho ‘’ideal’’ de pênis;
  • preocupação em ejacular muito cedo ou levar muito tempo para atingir o orgasmo;
  • ansiedade por não poder ter um orgasmo ou aproveitar a experiência sexual;
  • preocupação excessiva em como não falhar na hora h, e
  • liberação de hormônios do estresse, como epinefrina e noradrenalina.

As consequências da disfunção erétil

O homem com disfunção erétil costuma sentir ansiedade diante da proximidade da relação sexual. Por exemplo, medo do fracasso, preocupações acerca do seu desempenho sexual e até redução do sentimento de excitação e prazer.

Sem contar que, a disfunção pode perturbar o relacionamento afetivo-amoroso, trazendo desconfianças e desentendimentos, e conduzir ao rompimento da relação.

A saúde sexual exerce papel de grande relevância na manutenção de um relacionamento a dois. Uma vez que, é um importante fator para a qualidade de vida.

Diante disso, é comum observar-se homens com verdadeiros rituais para verificarem se têm ereção. Alguns se engajam na compulsão pela masturbação para mostrarem para si mesmos que o problema não é tão grave, mas isso não ajuda em como não falhar na hora h.

A camisinha passa a ser evitada, pois o homem com disfunção erétil teme a perda total ou parcial da ereção no momento de colocá-la. Com isso, há uma probabilidade maior de contágio de DSTs – doenças sexualmente transmissíveis, como AIDS, ou de uma gravidez indesejada. 

Viagra e Cialis, medicamentos indicados para o tratamento da disfunção erétil, têm seus méritos. Contudo, não podem ser entendidos como tratamento completo para a disfunção.

No entanto, muitos dos acometidos, passaram a viver com a ansiedade de falhar na hora h sem suas pílulas “milagrosas”.

Sem contar que há estudos que abordam uma relação entre o uso de drogas para disfunção erétil e a ocorrência de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

Terapia para impotência – Inpa

A terapia sexual é o tratamento para as disfunções ou inadequações sexuais. Portanto, caso perceba algum indício de disfunção sexual, procure um terapeuta sexual.

Dessa maneira, se você apresenta o medo de falhar na hora h, busque ajuda de um psicólogo de sua confiança. 

No Inpa, a formulação clínica sobre as dificuldades sexuais do cliente de terapia sexual é feita de forma individualizada, adequando-se às técnicas de intervenção ao tratamento específico, o que acelera a resolução do problema.

terapia sexual

Tratamento para disfunção erétil

Sexo faz parte da vida, assim como o envolvimento emocional, o afeto, a cumplicidade e a desinibição no relacionamento a dois. 

Por isso, tão importante quanto manter a ereção numa relação sexual, é mudar hábitos, pensamentos e sentimentos para buscar uma vida saudável na interação com sua parceira(o).

Para o casal: terapia sexual

Como exemplo de disfunções sexuais no homem, pode-se citar a disfunção erétil, a ejaculação prematura e o transtorno orgásmico. Já para as mulheres, exemplos de disfunções sexuais podem ser a falta de desejo sexual e a anorgasmia.

Dessa forma, esses e outros problemas podem ser tratados com a terapia sexual.

Aliás, outros problemas sexuais, tais como as parafilias (desvios sexuais) e transtorno de identidade de gênero, também podem ser tratados pela terapia sexual.

Cultura e sexo

Muitos homens acham que têm o dever de desempenhar um bom papel sexual diante de qualquer condição, com qualquer pessoa e a qualquer custo.

No entanto, na verdade, os homens precisam ter desejo pela parceira(o) como um primeiro requisito para terem ereção.

Além disso, as condições ambientais e orgânicas nas quais essa relação aconteça devem ser propícias.

Por exemplo, ambientes inadequados como o interior de um carro parado em uma via pública ou as escadas de um prédio, podem trazer dificuldade de concentração e, com isso, trazer dificuldade de ereção para alguns homens.

Noutra situação, uma pequena quantidade de álcool até poderia ajudar a relaxar e a criar o clima.

Todavia, passada a dose etílica ideal, que varia de homem para homem, o indivíduo teria maior propensão à ação depressora do álcool em determinadas áreas cerebrais. Por conseguinte, haveria uma dificuldade ou impossibilidade de ocorrer a ereção.

Assim sendo, homens, assim como as mulheres, estão sujeitos a funcionar melhor ou pior a depender da parceira(o), do local ou do uso de alguma medicação ou substância psicoativa.

agendamento

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil

Fábio Augusto Caló

@fabiocalo - Psicólogo pelo UniCEUB e mestre em Análise do Comportamento pela UnB. Atua desde 1998 como clínico, atendendo adultos e casais. Há duas décadas, tem realizado atendimentos, principalmente, na área da conjugalidade, da sexualidade e dos transtornos de ansiedade. Tem se interessado e pesquisado sobre assuntos atuais como "dependência de internet", "vício em pornografia", "traição online", dentre outros. É palestrante e instrutor de cursos de desenvolvimento pessoal e cursos dirigidos a profissionais da saúde.

Você deve estar logado para postar um comentário.

×