Blog

Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM): qual a diferença para a TPM?

tdpm

Você já ouviu falar sobre a TDPM? A maioria das mulheres já conhecem os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM). O que muitas pessoas desconhecem é que não há apenas a TPM quando falamos sobre tensões pré-menstruais.

Dessa maneira, há um quadro chamado de transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM).  E essa condição é, ainda, alvo de diversas polêmicas e pesquisas. 

A confusão ocorre porque a TDPM é um problema de saúde bem similar à TPM. No entanto, pode ser considerado um caso mais grave e que causa mais sintomas emocionais e comportamentais.

A TDPM faz com que a pessoa tenha sentimentos como: irritabilidade, depressão ou ansiedade severa. Os sintomas tendem a desaparecer em até três dias após o início da menstruação. 

A TDPM é pouco conhecida, porque os sintomas se assemelham demais com os sintomas da TPM. Dessa forma, é comum que as mulheres não busquem tratamento por acreditarem que seja um quadro considerado normal.

Vale ressaltar que, sem o tratamento adequado, os sintomas emocionais não somem e diversas mulheres sofrem com eles sem buscar ajuda. Assim sendo, a medicação é a principal forma de aliviar os sintomas físicos, mas é, também, eficiente no controle de sintomas ligados com os quadros psicopatológicos.

Neste artigo, será abordado temas como:

  • O que é a TDPM e TPM?
  • Quais os sintomas?
  • Qual a causa?
  • Quais são os fatores de risco?
  • Qual o tratamento?

O ciclo menstrual e as alterações hormonais

O ciclo menstrual (CM) tem duração média de 28 dias e pode ser divididos em três fases:

  • Folicular: começa no primeiro dia de menstruação e tende a durar de 9 a 23 dias. 
  • Ovulatória: tem duração de 3 dias.
  • Lútea: ocorre do fim da ovulação até o início do fluxo menstrual.

Em razão disso, o período pré-menstrual é classificado como uma fase de risco para o aparecimentos de sintomas fśicios e psíquicos. De acordo com a Revista Psiquiatria do Rio Grande do Sul [vol.31 no.2 Porto Alegre  2009], 75% das mulheres, que estão em idade reprodutiva, experimentam alguns dos sintomas da fase pré menstrual.

São mais de 100 sintomas físicos e psicológicos. Todavia, diversas mulheres não conseguem controladas, o que acaba afetando a qualidade de suas vidas.

Desse modo, as alterações hormonais, que ocorrem durante o ciclo, podem justificar o aparecimento de tantos sintomas e de seu tempo de duração.

O que é TPM?

A tensão pré-menstrual (TPM) ou síndrome pré-menstrual (SPM) é uma condição que ocorre durante certos dia do ciclo menstrual, normalmente alguns dias antes da menstruação. O quadro é conhecido por afetar diferentes áreas, como a saúde física, emocional e comportamental.

Sintomas da tensão pré-menstrual

Os sintomas da TPM são variados, mas, geralmente, alguns são apresentados pela maioria das mulheres. Além disso, eles podem ser divididos em três grupos:

  • físicos;
  • emocionais;
  • comportamentais.

Físicos

  • Dor de cabeça e fadiga.
  • Dores musculares ou articulares.
  • Dores e/ou inchaço na região dos seios (mastalgia).
  • Alterações do peso, em razão da retenção de líquidos (inchaço).
  • Crises de acne e aumento da oleosidade da pele.
  • Diarreias, vômitos e enjoos.
  • Dores abdominais, como cólicas.

Emocionais e comportamentais

  • Ansiedade, irritabilidade, raiva e estresse.
  • Alterações de humor, que variam do feliz para o deprimido.
  • Crises de choro e maior sensibilidade emocional.
  • Alterações de apetite e desejos por comidas específicas.
  • Problemas de sono, como a insônia. 
  • Mudança na líbido, que pode aumentar ou diminuir.
  • Problemas de concentração e isolamento social.

O que é a TDPM?

A grande maioria das mulheres já passaram por algum tipo de síndrome pré-menstrual. O transtorno disfórico pré-menstrual pode ser classificado como uma forma mais grave da tensão pré-menstrual (TPM).

Dessa forma, a TDPM apresenta oscilações intensas de humor e pode ser debilitante para a pessoa que apresenta o caso.

Ademais, por ser influenciadas por diversos fatores hormonais, familiares, socioculturais, ambientais e físicos a sua etiologia, ainda, não é bem definida. 

É normal que os sintomas aparecem desde a menarca (primeiro fluxo menstrual) e durem até a menopausa. Há diversas mulheres que não procuram tratamento, afinal acreditam que sejam sintomas do imaginário ou resultantes do estresse. 

Por outro lado, há mulheres que relataram uma piora do quadro perto do período da menopausa. 

Ainda, por sua gama de conceitos, os critérios diagnósticos e escolas não são diretos. E a diferença entre a TPM e a TDPM pode ser difícil até mesmo em diagnósticos médico, porque não há nenhum exame laboratorial que seja marcador de um transtorno ou outro.

Portanto, o diagnóstico parte dos psicólogos, psiquiatras e ginecologistas que fazem uma avaliação dos sintomas exacerbados durante o período menstrual.

Sintomas do transtorno disfórico pré-menstrual

Como citado anteriormente, os sintomas do TDPM, em geral, aparecem na semana anterior ao início da menstruação e podem durar até três dias após o início

Ademais, estão, em sua maioria, ligados ao emocional e comportamento.

Principais sintomas

  • alterações de humor;
  • sentimentos de desesperança, de tristeza e de vazio;
  • raiva intensa e maior probabilidade de conflitos;
  • tensão, irritabilidade e ansiedade;
  • falta de interesse em atividades cotidianas e fadiga;
  • alterações no apetite;
  • dificuldade de concentração;
  • problemas de sono;
  • dores musculares ou articulares;
  • sudorese e ondas de calor;
  • sensibilidade mamária;

Sintomas gastrointestinais

  • cólicas;
  • prisão de ventre;
  • inchaço;
  • dores abdominais;
  • náusea;
  • vômito;
  • dores nas costas.

Problemas de pele

  • aparecimento da acne e de cravos;
  • inflamação da pele com comichão (ressecamento);
  • aparecimentos de outros problemas de pele, como a herpes.

Problemas oculares

  • infecções oculares;
  • mudanças da visão.

Causas da TDPM

Não há, ainda, pesquisas que definem as causas exatas da TDPM. Entretanto, a maioria dos pesquisadores acreditam que o quadro pode ser uma reação anormal as alterações hormonais relacionados ao ciclo menstrual.

Há alguns estudos que começam a relacionar o quadro com os baixos níveis de serotonina. Afinal, certas células utilizam a serotonina para controlar o humor, a atenção, o sono e a dor. 

Por fim, as alterações hormonais podem causar a diminuição da serotonina. O que poderia levar os sintomas da TDPM.

Fatores de risco

Há alguns grupos de mulheres que podem ser mais propensas a desenvolverem um quadro de TDPM, que são:

  • mulheres com histórico familiar de TPM ou TDPM;
  • mulheres com histórico pessoal ou familiar de depressão, ansiedade e outros transtornos de personalidade;
  • fatores ambientais como alcoolismo e tabagismo;
  • apresentação de outros problemas ginecológicos, como endometriose.

Para entender melhor os fatores de risco

Tratamento da TDPM

O transtorno disfórico pré-menstrual é uma condição considerada crônica e que necessita de tratamento. Apesar de ter um diagnóstico difícil, o tratamento oferece diferentes abordagens para aliviar os sintomas ou diminuir sua gravidade.

As principais formas de tratamento são por meio de:

  • alimentação saudável e prática de exercícios;
  • gerenciamento do estresse;
  • suplementos vitamínicos;
  • pílulas anticoncepcionais.

Por conseguinte, para tratar os sintomas emocional, é recomendado buscar a psicoterapia e a psiquiatria. A terapia pode ajudar a lidar com os sentimentos negativos e os medicamentos ajudam a controlar os sintomas da depressão, da ansiedade e da irritabilidade.

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil.

Você deve estar logado para postar um comentário.

×