Blog

Síndrome de abstinência

Síndrome de abstinência

O que é síndrome de abstinência ?

A síndrome de abstinência é um conjunto de sinais e sintomas que ocorrem após a interrupção ou diminuição do consumo de uma substância que cause dependência. As características da síndrome de abstinência variam de acordo com a droga ou substância tirada. No entanto, alguns sintomas são comuns quando o uso é interrompido. São eles:

  • ansiedade,
  • insônia,
  • irritabilidade,
  • agitação ou apatia,
  • disforia,
  • problemas de sono,
  • náuseas,
  • taquicardia.

Esses sintomas ocorrem devido aos danos nos cérebros causados pelo uso das substâncias. Ainda, tais sintomas podem durar de poucos dias a meses. 

A causa da síndrome é a interrupção do uso de substâncias dependentes. Por fim, o tratamento é feito com cuidados médicos, acompanhamento psicológico, e, em alguns casos, uso de psicofarmacológicos para prevenir complicações.

Álcool

A síndrome de abstinência em pessoas alcoólatras começa poucas horas depois da suspensão do uso do álcool. A gravidade da síndrome nesses casos é proporcional à quantidade de álcool consumido nas 24 horas anteriores e ao número de episódios prévios.

Os sintomas comuns da síndrome de abstinência de álcool são:

  • insônia,
  • ansiedade,
  • tremores e sudorese,
  • náusea e vômitos,
  • inquietação e agitação,
  • taquicardia e hiperatividade.

Ademais, se o caso for muito grave, a pessoa pode apresentar quadros de convulsão e delírio.

Opióides

Alguns tipos de opióides são a morfina e a heroína. A síndrome de abstinência dessa substância é percebida quando a pessoa tem:

  • dilatação da pupila,
  • lacrimejamento,
  • bocejos e espirros,
  • anorexia,
  • dores abdominais,
  • náuseas e vômitos,
  • diarreia,
  • rinorreia e arrepios.

No entanto, no caso de interrupção abrupta da heroína, a pessoa pode ter uma parada cardíaca, insuficiência respiratória ou desidratação, e morrer. Isso acontece porque a droga funciona como um neurotransmissor externo, que substitui os neurotransmissores orgânicos.

Para evitar tais quadros drásticos, no Brasil, o dependente de heroína é encaminhado pra uma emergência médica e toma doses regulares de metadona.

Crack

A principal característica de um dependente de crack é a desnutrição. Além disso, pessoas com vício em crack tem dor de cabeça e tonturas. A alta temperatura da fumaça do crack pode levar a pessoa a ter lesões na laringe, traquéia e brônquios. Isso acarreta em uma série de problemas que incluem pneumonia e tuberculose. Além disso, o crack libera adrenalina, aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial, provoca náuseas, infarto, flatulência, delírios e alucinações.

Os dois principais sinais da síndrome de abstinência do crack são “fissura” e sintomas paranóides. A “fissura” é uma necessidade imprescindível para o corpo, é descrita como uma vontade pior do que a fome. O dependente é consumido pela ansiedade e pelos pensamentos obsessivos de como obter a droga. Dessa maneira, ele fica inquieto e agitado. 

Cocaína

A síndrome de abstinência da cocaína e anfetaminas é semelhante a episódios depressivos. Começa com um cansaço, hipersonia, variação de apetite e humor depressivo ou irritável.

Assim como com o álcool, é possível observar a síndrome de abstinência da cocaína poucos momentos depois da interrupção do uso da droga. Os sintomas apresentados durante a síndrome podem ser um gatilho para que a pessoa volte a usar a droga, já que a cocaína deixa a pessoa em estado de êxtase e euforia. 

3 fases da síndrome de abstinência da cocaína

  1. Crash: drástica depressão, redução de energia, que ocorre entre 15 e 30 minutos depois de para de usar a droga. Essa fase pode durar de 8 horas a 4 dias. A pessoa sente ansiedade, depressão, paranóia e intenso desejo em consumir a droga. Esse último sinal é interrompido depois de 4 horas quando a “fissura” pela droga é substituída pela “fissura” pelo sono. A pessoa então tem uma hipersonia como forma de aversão a droga e só acorda poucas vezes para comer uma grande quantidade de alimento.
  2. Síndrome disfórica tardia: começa depois do crash, ou seja, entre 12 e 96 horas depois de interromper o uso da droga. Pode durar de 2 a 12 semanas. Nos 4 primeiros dias, a pessoa tem uma forte sonolência e um enorme desejo pela droga. Depois, começa uma síndrome de abstinência prolongada, disfórica marcada pela irritabilidade, apatia e “fissura”. Além disso, é possível observar alguns problemas de memória e pensamentos suicidas. Essa é a fase com maiores chances de um recaída, por conta da dificuldade em  suportar os sintomas da “fissura”, como ansiedade, depressão e irritabilidade.
  3. Fase da extinção: por fim, é o momento em que os sintomas disfóricos diminuem ou acabam por completo. A “fissura” pode acontecer de maneira intermitente, e tende a diminuir ao longo do tempo.

Tratamento da síndrome de abstinência

Independentemente da substância, o tratamento da síndrome de abstinência e da dependência deve ser acompanhado por uma série de profissionais da área da saúde. Psicólogos poderão trabalhar em conjunto com psiquiatras, que por sua vez, devem formar uma equipe juntamente com outros médicos.

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil.

Você deve estar logado para postar um comentário.

×