Blog

Vigorexia: entenda o distúrbio de obsessão pelo corpo perfeito

Vigorexia

Você sabe o que é Vigorexia?

A vigorexia é um transtorno dismórfico corporal, classificado no espectro do transtorno obsessivo-compulsivo. É caracterizada pela insatisfação constante com o corpo. Pode estar associada a uma distorção da autoimagem e a um transtorno psicológico similar à anorexia.

Há uma obsessão em atingir um corpo perfeito, muitas vezes irreal. Isso provoca sensações aversivas. Como ansiedade e baixa autoestima. 

O corpo desejado é, geralmente, forte e com grande volume muscular. Levando o indivíduo a passar muitas horas praticando exercícios. Além disso, o  vigoréxico tende e a evitar atividades sociais e profissionais que comprometam a sua agenda de exercícios ou a sua dieta.

Dessa forma, o indivíduo se dedica de forma compulsiva aos exercícios e normalmente abusa de suplementos alimentares; proteínas; dietas hiperproteicas. Ou, até mesmo, esteroides anabolizantes, o que pode causar diversos riscos à saúde.

Por isso, no caso do vigoréxico, a prática dos exercícios é para eliminar a ansiedade diante do corpo fraco.

Assim, é comum que, nos dias em que se vê impossibilitado de praticar exercícios ou diante de algum tipo de perda de massa, o vigoréxico se sinta extremamente culpado e fracassado.

Causas da vigorexia

Não existe um consenso sobre as causas da vigorexia. Entretanto, acredita-se que esse distúrbio aconteça por razões multifatoriais. Uma vez que, são inúmeras influências atuando na configuração do quadro. 

Porém, a causa é individual. Assim sendo, o que motiva uma pessoa a apresentar o transtorno pode ser diferente do que motiva a outra. 

Algumas pesquisas indicam que a vigorexia é mais comum em homens, com idade entre dezoito e trinta e cinco anos. Porém, pode também ser observada em mulheres.

Existe, ainda, uma relação com a genética. Conforme alguns estudos, pessoas que têm parentes consanguíneos com vigorexia também podem desenvolver esse tipo de transtorno.

Não se pode deixar de mencionar o papel das mídias e dos influenciadores digitais. Porque, esses aspectos acabam repassando informações que tornam-se referências de corpos perfeitos. Muitas vezes, inatingíveis. De tal modo que, acabam exercendo uma pressão significativa na forma como as pessoas se percebem. 

Assim como também, ao fato de a pessoa, por algum motivo, ao longo de sua história de vida, ter aprendido que sua aparência física tinha grande importância para que ela fosse valorizada.

Os principais sintomas 

O principal sintoma que caracteriza a vigorexia é a distorção na percepção do corpo.

Mesmo em ótima forma física, o indivíduo continua infeliz com sua aparência. Assim sendo, acaba tendo pensamentos obsessivos de não ser suficientemente grande e se sente fraca ou pequena.

Já outros sintomas podem ser: ansiedade; baixa autoestima; insônia; depressão; irritabilidade e cansaço; dificuldade de concentração; exercitar-se mesmo estando lesionado; dietas rigorosas demais; fraqueza e lesão muscular, causada pelo excesso de exercício físico.

A atenção do vigoréxico está toda voltada para a prática de exercícios. Aliás, o indivíduo não se interessa por nenhuma atividade ou relacionamento que possam interferir em seu propósito de treinar duro durante todo o tempo.

Portanto, é importante identificar o distúrbio no início para evitar que suas consequências escalem e sua saúde seja danificada.

Depressão e o transtorno da imagem corporal

Como o corpo que considerado perfeito é um ideal inatingível, os indivíduos estão mais sujeitos ao desenvolvimento de transtornos psicológicos. Isso, porque, em razão dos sentimentos de inferioridade e da visão deformada da própria aparência, o psicológico será afetado.

Por exemplo, transtornos alimentares, a ansiedade social, neuroticismo ou depressão.

A partir disso, o psicólogo adquire papel central e fundamental na vida de um vigoréxico. Dessa forma, faz-se necessária uma avaliação profissional para avaliar cada caso.

Tratamento para vigorexia

O tratamento da vigorexia é feito por meio de uma equipe multiprofissional. Composta por médico, psicólogo, nutricionista e profissionais de educação física, por exemplo. 

O acompanhamento psicológico é de extrema importância no tratamento da vigorexia. Pois, geralmente, será preciso recuperar a autoestima e a autoconfiança, trabalhar a autoaceitação e verificar a presença de outros sintomas, como ansiedade e depressão.

Às vezes, aliás, quase sempre, se faz necessário que o vigoréxico seja acompanhado por psiquiatras. Porque, o uso de medicamentos é indicado para os quadros de depressão e ansiedade.

A prática de exercício físico não deve ser interrompida, no entanto, deve ser feita sob orientação de um profissional de educação física.

Outra medida essencial é convencê-lo de a abandonar o uso de anabolizantes e de outras substâncias equivalentes. Já que é prática comum para muitos vigoréxicos.

Portadores de vigorexia raramente admitem sua condição. Por isso, o diagnóstico e o início do tratamento costumam ser instituídos tardiamente.

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil

Você deve estar logado para postar um comentário.

×