Blog

Zoofobia: medo de animais

zoofobia

O que é?

A zoofobia pode ser conhecida, também, como fobia animal e é caracterizada por ser um tipo de fobia específica para determinados animais. O quadro acarreta um medo irracional, o que faz com a pessoa evite conviver com animais não humanos.

Em casos mais graves, apenas imaginar estar com outros animais desencadeia os sintomas. Há outros exemplos de zoofobia, que descrevem, especificamente, o animal que a pessoas tem medo, como:

  • entomofobias/insectofobia: medo de insetos;
  • apifobia: medo de abelhas;
  • aracnofobia: medo de aranhas;
  • ornitofobia: medo de pássaros;
  • ofidiofobia: medo de cobras (serpente).

Assim sendo, normalmente, animais como a cobra, aranhas e insetos geram um sentimento de repulsa e, ainda, esse medo é uma resposta da sobrevivência humana. Porém, pessoas com a fobia animal, possuem um medo exagerado e sem fundamento racional.

O nível de extensão da fobia está, diretamente, relacionado com as características do animal que vão desde o tamanho até a agressividade.

Ademais, comumente, as pessoas com zoofobia têm medo de animais peçonhentos, como lagartos, sapos e cobras e medo de animais selvagens, como lobos e tigres.

Sintomas da Zoofobia

Como citado anteriormente, os sintomas não aparecem apenas por meio do contato com o animal, mas, também, ao pensar nele. 

Dessa formas, os principais sintomas são:

  • tonturas e desmaio;
  • taquicardia e falta de ar;
  • respiração acelerada e superficial;
  • sudorese e tremores;
  • congelamento de movimentos, ou seja, a pessoa permanece estática no mesmo lugar.

Além disso, há casos que a pessoa com fobia animal fica idealizando cenas em que é atacada pelo o animal, o que pode desencadear os sintomas.

Portanto, a fobia se torna uma condição que impede a qualidade de vidas. Afinal, tendem a causar muito estresse nos pacientes. Vale ressaltar que há casos gravíssimos que a pessoa se recusa sair de casa com medo de encontrar o animal.

Causas

A zoofobia é um quadro comum e, na maioria dos casos, tem seu surgimento na primeira infância, através de experiências negativas com animais. 

No entanto, há casos que o medo desaparece sem auxílio de tratamento, mas, em outros pacientes, a fobia pode persistir durante toda a vida do paciente. 

O principal motivo para o desenvolvimento da fobia animal é o estresse ou trauma, que está relacionado com algum tipo de animal. Desse modo, o sentimento de repulsa se desenvolve, de maneira profunda, no cérebro e pode ser lembrada toda vez que o indivíduo passa por alguma situação de extremo estresse. 

Por conseguinte, a ansiedade pode ser um dos fatores que influenciam no aparecimento da zoofobia. 

Todavia, vale salientar que nem todo medo de animais é classificado como fobia animal, apenas casos persistentes e irracionais são diagnosticados com o quadro. 

Tratamento da Zoofobia

O tratamento mais indicado, nesses casos, é por meio da psicoterapia. O psicólogo realiza intervenções para provocar melhora de sintomas.

A terapia comportamental é uma das que apresenta resultados melhores e mais definitivos. Ainda, a terapia cognitivo comportamental pode ser, também, uma vertente diferente de abordagem.

A dessensibilização gradual e terapia de exposição é um dos métodos que são bastante utilizados durante o tratamento. Dessa maneira, o paciente é exposto às fotos do animais e o paciente, com o tempo, aprende a lidar com a extrema ansiedade.

Por fim, em casos extremos de zoofobia, sedativos e antidepressivos podem ser recomendados. É preciso procurar ajuda especializadas, nesses casos, como a de um psiquiatra.

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil.

Você deve estar logado para postar um comentário.

×