Blog

Hematofobia: medo de sangue

hematofobia

O que é hematofobia?

A hematofobia ou, também, chamada de hemofobia, é caracterizada por ser um medo de sangue e uma fobia específica comum. 

É categorizada pelo DSM-V (Manual de Diagnóstico e Estatística, 5ª Ed) como uma parte do subtipo de fobias do tipo “injeção de sangue-lesão”. Ainda, esse subtipo inclui, também, fobia de agulhas. Em razão disso, normalmente, a hematofobia é acompanhada pela aicmofobia (medo de agulhas).

Os hematófobos têm um medo extremo só da ideia de estar em contato com o sangue. Além disso, é comum que pessoas com hematofobia evitem estar em locais onde o sangue pode está presente, como hospitais, centros de coleta ou doação de sangue. 

Ademais, o indivíduo hematófobo pode, ainda, desenvolver um transtorno de ansiedade ou pânico apenas com o pensamento de ter que entrar em contato com o sangue.  

Nessa fobia a pessoa tem um extremo desconforto de lidar, até mesmo, com o próprio sangue, o que resulta em uma interferência da qualidade de vida. Em virtude disso, a pessoa evita ou desiste de realizar exames ou procedimentos médicos necessários para sua saúde. 

Quais são as causas?

A hematofobia pode surgir da relação com outras fobias, como o medo de agulhas (aictofobia) e o medo de doenças (hipocondria). 

O fato do campo da medicina ser associado com imagens de sangue derramado, principalmente, em filmes e na televisão, resulta na perpetuação dessas fobias.

Por conseguinte, uma das causas da fobia é o fato de que o ato de sangrar está associado a um sinal de que algo está errado com o corpo. E, também, podem ter razões genéticas relacionadas ao surgimento do quadro.

Há também casos em que a pessoa possui misofobia (medo de germes) e o sangue pode desencadear o medo de contrair alguma doença ou contaminação. Em alguns casos, o medo de sangue pode estar relacionado com o medo da morte.

Por fim, a hematofobia pode está interligada com alguma experiência traumática ou negativas do passado do indivíduo. Por exemplo, pessoas que sofreram lesões graves ou doenças, que causaram grande pede sangue, podem desenvolver a fobia.

Sintomas de hematofobia

Os sintomas da hematofobia passam por duas partes. Sendo assim, a primeira é relacionada aos sintomas psicológicos. Dessa forma, a pessoa sofre de uma crise de ansiedade pela ideia de contato com o sangue. 

Em seguida, a segunda parte é relacionada aos sintomas físicos, como aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial.

Assim, os principais sintomas da hematofobia são:

  • arritmia cardíaca;
  • alteração da pressão sanguínea;
  • ansiedade antecipatória;
  • tremores e desmaios;
  • problemas gastrointestinais;
  • náuseas e vômitos.

Tratamento da hematofobia

A hematofobia, em geral, tem resultados positivos à diferentes tipos de tratamento. Umas das mais comuns e eficientes é a terapia comportamental. 

Desse modo, a terapia comportamental mostra bons resultados a longo prazo e, especialmente, quando associada ao acompanhamento psicotrópico. Afinal, os medicamentos antidepressivos podem ajudar no tratamento, porque diversos casos de hematofobia tem um quadro psicológico correlacionado. Em consequência disso, os medicamentos podem ajudar a controlar essas patologias, como a ansiedade generalizada

Portanto, é necessário buscar um psicólogo ou psiquiatra para a confirmação do diagnóstico e, também, para seguir a melhor forma de tratamento.

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil

Você deve estar logado para postar um comentário.

×