Blog

7 tipos de meditação

meditação

A meditação é técnica que promove o relaxamento, o foco e a consciência. Além disso, a meditação é vista como uma forma de terapia alternativa e complementar, na área da Psicologia. Afinal, a técnica traz benefícios para o corpo e para a mente. 

Em geral, a prática é feita de forma individual e a forma mais comum é a sentada com os olhos fechados.

No entanto, não há apenas um tipo de meditação, mas, sim, diversas técnicas e abordagens. Nesse artigo, será abordado o conceito da meditação e seus diferentes tipos.

O que é?

A meditação é uma prática utilizada para o treinamento da atenção, da consciência e de um estado psicológico calmo e estável. Ainda, a prática pode utilizar diferentes técnicas, como focalizar a mente em um objeto ou em um pensamento.

Vale ressaltar que o conceito de meditação é complicado e diversificado. Porque as práticas tem diversas variações entres as diversas formas de tradições e culturas.

Assim sendo, a prática é realizada desde a antiguidade em diferentes tipos de religiões e tradições. Em algumas delas, a meditação é utilizada como parte de um caminho para a iluminação.

Ademais, uns dos primeiros relatos dessa técnica, é através das tradições hindus do Vedantismo. Por conseguinte, desde o século XIX, as diversas técnicas asiáticas vêm se espalhando por outras culturas, como a acupuntura. 

Entretanto, essas práticas não permanecem, apenas, como uma técnica espiritual, mas, também, como uma forma de negócio e de cuidado com a saúde.

Desse modo, a meditação está sendo utilizada como uma terapia complementar para área da Psicologia. No tópico seguinte, será abordado mais sobre esse assunto.

Meditação e a Psicologia

No âmbito da Psicologia, a meditação pode ser ajudar no tratamento de transtornos como depressão, ansiedade e transtorno pós-traumático.

Atualmente, as pessoas vivem em rotinas corridas e, até mesmo, estressantes. Dessa maneira, a meditação pode promover uma “fuga” da realidade, o que traz diversos benefícios, tais como:

  • físicos;
  • espirituais;
  • mentais;
  • comportamentais;
  • psicológicos.

A meditação, na Psicologia, pode atuar em diversos pontos, como objeto auxiliador, que são:

Ansiedade e estresse

A ansiedade se tornou um problema mundial e afeta na qualidade de vida de diferentes pessoas. A meditação pode ajudar a regular pensamentos acelerados e pode ajudar a controlar os sintomas do estresse e da ansiedade. 

Em virtude, das técnicas de concentração e relaxamento, que promovem o bem estar e a calma. 

Benefícios psicológicos

A meditação oferece diversos benefícios, mas para a Psicologia os principais são:

  • diminuição do estresse;
  • aumento da criatividade;
  • diminuição da irritabilidade;
  • melhora da memória;
  • aumento da estabilidade emocional;
  • aumento da memória e do foco;
  • melhoria na resolução de problemas.
  • aumento da produtividade;
  • autoestima e autoaceitação;
  • regulação das mudanças de humor;
  • regulação do padrão do sono;
  • aumento da empatia e da gratidão.

Tipos de meditação

Como citado anteriormente, há diversos tipos de meditação, porque a técnica é utilizada em diversas culturas. Portanto, os principais tipos são:

1. Meditação zen ou zazen

Nesse tipo, a pessoa concentra em um princípio minimalista para alcançar a tranquilidade. Logo, nas salas em que são praticadas não há objetos, as paredes são em cores neutras e tem a presença de um silêncio absoluto.

Na meditação zen, a postura e a respiração são o foco. Ainda, a postura deve ficar com a coluna reta enquanto a pessoa está sentada em uma cadeira, banco ou almofada. As mãos devem ficar uma em cima da outra e as pernas cruzadas. O foco é a respiração natural e relaxada

2. Meditação Budista Kadampa

Nesse tipo, os frequentadores do centro são conhecidos como “meditadores modernos”. O objetivo da metodologia é a transmissão dos ensinamentos de Buda correlacionados com a vida moderna.

Dessa maneira, a primazia é fazer com que as pessoas aprendam a realizar escolhas e, ainda, transformar os pensamentos negativos. A prática consiste em trabalhar conceitos como: amor, paz, empatia e felicidade.

A técnica é feita com sentada com a postura ereta e relaxada. Em seguida, é preciso manter atenção na respiração e, aos poucos, diminuir os pensamentos. A prática têm duração de, em média, 15 minutos a uma hora. Todavia, pode haver variações e mudanças, de acordo com a necessidade da pessoa. 

3. Meditação transcendental

A técnica tem como origem a tradição védica e tem como objetivo o alcance de níveis para chegar até à fonte dos pensamentos.

Ainda, nesse tipo, a ferramentas de auxílio é um mantra individual. O processo tem diferentes etapas: cerimônia, verificação e manutenção. A pessoa precisa manter a rotina de meditação, de forma contínua.

4. Raja Yoga

Nessa técnica, o primeiro passo é desapegar de tudo que está ao redor, como barulhos, situações e objetos. Em seguida, a pessoa precisa escolher algum pensamento ou memória positiva para focar. O objetivo é que, com o tempo, a pessoa consiga alcançar uma quietude, esvaziar a mente e ficar totalmentes calmos.

5. Vipassana

A técnica utiliza os conceitos de meditação, de acordo com os ideais de Buda. Em razão disso, a meditação é dividida por dois aspectos:

  • samatha: tranquilização e a concentração;
  • vipassana: habilidade de ver a realidade com clareza.

Nessa abordagem, a pessoa se mantém com a postura em posição de meia lótus, para o fluimento da circulação. Ainda, a respiração não é o único foco, a técnica consiste em sensações do corpo, através de elementos naturais, como a água.

6. Meditação guiada

Nesse tipo, a técnica é, normalmente, utilizadas em centros especializadas, porém, também, é utilizadas em redes sociais, como o Youtube e o Spotify. A ideia da meditação é servir como um guia espiritual e, assim, ajudar a superar dificuldades e alcançar o relaxamento.

7. Meditação mindfulness

Por último, esse tipo de mediação é considerado moderno e foca na consciência. Dessa maneira, atualmente, as pessoas possuem muitas tarefas e acabam entrando em um estado automática, em que faz as coisas de forma inconsciente ou sem muita atenção. Em virtude disso, a meditação mindfulness surge como uma forma de reconhecer a importância da concentração ao fazer atividades.

Por fim, há diversas outras formas de meditação e técnicas. É preciso estudar com calma e buscar a que melhor se encaixe no seu perfil e tratamento.

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil.

Fábio Augusto Caló

@fabiocalo - Psicólogo pelo UniCEUB e mestre em Análise do Comportamento pela UnB. Atua desde 1998 como clínico, atendendo adultos e casais. Há duas décadas, tem realizado atendimentos, principalmente, na área da conjugalidade, da sexualidade e dos transtornos de ansiedade. Tem se interessado e pesquisado sobre assuntos atuais como "dependência de internet", "vício em pornografia", "traição online", dentre outros. É palestrante e instrutor de cursos de desenvolvimento pessoal e cursos dirigidos a profissionais da saúde.

Você deve estar logado para postar um comentário.

×