Blog

Estresse: saiba o que é, sintomas e dicas de tratamento

estresse

Todo mundo, em algum momento da vida, já sentiu estresse. Afinal, ficar estressado em determinadas situações é normal, compreensível e em muitas vezes, inevitável, concorda? 

O estresse pode ser notado em situações do dia a dia, como no trabalho, na realização de tarefas urgentes, no trânsito ou ao disciplinar e educar os filhos.

Assim sendo, a sensação exagerada de irritação está presente em diversos contextos, e mesmo que pareça um sentimento a ser evitado, um pouco de estresse pode ser positivo. No entanto, quando ele se torna crônico, a pessoa deve ficar atenta e buscar ajuda.

estresse

A primeira forma de lidar com o estresse é conhecer seus tipos e sintomas. Mas, reconhecer esses sintomas pode ser um desafio. 

Vale salientar que a maioria das pessoas está tão acostumada com esse sentimento presente em suas rotinas, que não sabem diferenciar o que é constante e o que acontece esporadicamente. 

Dessa forma, a partir do momento em que os sintomas começam a afetar o cotidiano de maneira significativa, com efeitos em suas atividades, seu psicológico e suas emoções, é necessário prestar atenção. 

Ademais, o estresse pode desencadear uma série de outras psicopatologias e interferir na saúde física e mental de um indivíduo. 

Por isso, neste artigo você poderá entender um pouco mais sobre: 

  • O que é estresse?;
  • Quais são os sintomas do estresse?;
  • Como é uma crise de estresse?;
  • Quais são os tipos de estresse?;
  • Doenças mentais relacionadas ao estresse;
  • Quais são as causas do estresse?;
  • Qual é o tratamento para o estresse?;
  • O que é estresse positivo? e
  • Consequências do estresse crônico.

O que é estresse?

O estresse pode ser classificado como uma reação do corpo em situações negativas e prejudiciais. 

Por exemplo, quando a pessoa se sente ameaçada, há uma reação química que o corpo emite. Essa reação é conhecida como “luta ou fuga”, que seria uma resposta ao estresse.

Ainda, diversos sintomas físicos são percebidos durante o estresse, tais como:

  • aumento da frequência cardíaca;
  • respiração acelerada;
  • contração de músculos e
  • aumento da pressão arterial.

Ele pode ter diferentes significados para cada um. Dessa maneira, o que causa estresse em uma pessoa, pode não causar na outra.

Além do mais, nem todo tipo de estresse é considerado ruim, como aquele que te faz ter reações rápidas (reflexo) e o estresse que torna a pessoa mais atenta.

Todavia, quando ele se mostra constante, é comum que ele comece a prejudicar a qualidade de vida de uma pessoa.

O chamado ‘’estresse crônico’’, traz diversas consequências para a vida de uma pessoa e deve ser tratado.

estresse sintomas

Quais são os sintomas do estresse?

Como dito anteriormente, o estresse pode afetar diferentes áreas da vida de uma pessoa, como por exemplo em fatores:

  • emocionais;
  • comportamentais;
  • físicos e
  • psicológicos.

Dessa maneira, nenhuma parte do corpo está imune às consequências desse sentimento.

Entretanto, os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. Ainda, os sinais podem ser vagos ou serem condicionados por outros fatores.

Devido à isso, cada um tende a lidar com o estresse de uma forma diferente. É importante buscar ajuda psicológica e médica para o tratamento adequado e com melhores resultados.

Desse modo, os sintomas se dividem em três categorias:

Emocionais

  • Depressão e ansiedade;
  • Agitação, frustração e mal-humor;
  • Perda do controle ou se sentir oprimido;
  • Dificuldade de acalmar a mente;
  • Isolamento social e
  • Baixa autoestima e falta de confiança.

Físicos

  • Falta de energia;
  • Diarreia, náuseas e constipação;
  • Dores musculares e músculos tensionados;
  • Taquicardia e dores no peito;
  • Insônia e outros problemas do sono;
  • Perda da libido e desejo sexual;
  • Boca seca e dificuldade para ingerir alimentos;
  • Ranger os dentes e roer as unhas;
  • Nervosismo, tremores, sudorese;
  • Zumbido no ouvido e
  • Baixa da imunidade.

Cognitivos

  • Incapacidade de concentração;
  • Problemas de memória;
  • Preocupação excessiva;
  • Pensamentos acelerados e
  • Pensamentos negativos.
crise de estresse

Como é uma crise de estresse?

Uma crise de estresse acontece quando, em um momento específico, uma pessoa se torna mais suscetível a adquirir problemas psicológicos, devido à sobrecarga causada por uma sequência de acontecimentos estressantes, acompanhados de uma rotina sem pausas para descanso. 

Geralmente, é a visão sobre os problemas que leva uma pessoa a ficar sobrecarregada. A linha entre o que é estressor e o que se torna crise é diferente para todas as pessoas.

O limite para isso pode ser maior ou menor, mas quando uma pessoa não pode mais tolerá-lo, ela pode perder o controle e entrar em crise.

Dessa forma, esse tipo de crise é uma das consequências do estresse repetitivo, quando uma pessoa passa por turbulências permanentes. 

Infelizmente, muitas pessoas que passam por isso se tornam instáveis ​​e são incapazes de viver a vida normalmente.

Todavia, para alguns, isso pode nunca acontecer, mas para muitos outros, essa instabilidade é algo que ocorre com frequência.

Quais são os tipos de estresse?

É impossível eliminar completamente o estresse ruim da sua vida, mas você pode aprender a evitá-lo e gerenciá-lo. Mais do que isso, é importante conhecer quais são os seus tipos:

Estresse agudo

O estresse agudo é o tipo mais comum de estresse. É a reação imediata do seu corpo a um novo desafio, evento ou demanda, e desencadeia sua resposta de ‘’luta ou fuga’’.

O estresse agudo grave, como aquele sofrido por uma vítima de um crime ou situação com risco de vida, pode levar a problemas de saúde mental, como o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT).

Entretanto, o estresse agudo nem sempre é negativo. É também a experiência que você tem ao andar de montanha-russa ou fazer com que uma pessoa se assuste assistindo a um filme de terror ou suspense.

Episódios isolados de estresse agudo não devem ter efeitos prolongados para a saúde. 

Na verdade, eles podem ser saudáveis ​​para você, pois essas situações estressantes proporcionam ao corpo e ao cérebro a prática de desenvolver a melhor resposta para futuras situações estressantes.

tipos de estresse

Estresse agudo episódico

Quando o estresse agudo acontece com frequência, é chamado de estresse agudo episódico. As pessoas que sempre parecem estar em crise, tendem a tê-lo.

Quem sofre com esse tipo de estresse geralmente de temperamento curto, são irritáveis ​​e ansiosos.

Além disso, pessoas que são muito pessimistas ou que tendem a ver o lado negativo em tudo, também tendem a ter estresse agudo episódico.

Efeitos negativos para a saúde são persistentes em pessoas com esse estresse, por isso, pode ser difícil para elas mudarem seu estilo de vida, pois o aceitam como parte da rotina.

Estresse crônico

Se o estresse agudo não for resolvido e começar a aumentar ou durar por longos períodos de tempo, ele se tornará estresse crônico. Ele é constante e não desaparece. 

Justamente por fazer parte de todos os dias da vida da pessoa, os motivos para que haja estresse crônico podem ser, por exemplo:

  • problemas financeiros;
  • uma família disfuncional e conflituosa;
  • um casamento infeliz ou
  • um emprego ruim.

Quais são as doenças mentais relacionadas ao estresse?

O estresse crônico pode trazer consequências significados e, também, o aparecimento de psicopatologias, como:

Problemas sexuais

Há pessoas em que o estresse crônico afeta de forma negativa o desejo sexual e a libido. De acordo com estudos, seu nível está ligado com a excitação sexual. 

Dessa forma, pessoas muito estressadas, tinham maiores dificuldades na excitação.

Por isso, a terapia sexual é indicada para esses casos. Para saber mais sobre esse tipo de terapia, acesse o nosso post: terapia sexual.

estresse e depressão

Depressão

A depressão é uma doença psiquiátrica crônica. O quadro é caracterizado por uma alteração de humor, tristeza profunda e uma falta de esperança.

O quadro depressivo afeta cada faixa etária de maneira diferente e, por isso, deve ser tratada com o foco específico para cada idade. 

Desse modo, a depressão está diretamente relacionada com o estresse, afinal, pessoas com estresse crônico podem começar a desenvolverem sintomas de depressão.

Transtorno De Ansiedade Generalizada

O Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) é um estado de ansiedade que independe do contexto. Segundo o Manual de Classificação de Doenças Mentais (DSM-5), o TAG é um transtorno de difícil controle, caracterizado pela preocupação excessiva, perdurando por no mínimo seis meses.

Além disso, normalmente, o Transtorno de Ansiedade Generalizada é oscilatório e pode durar vários anos. O estresse pode ser um fator crucial para o desenvolvimento de um quadro de ansiedade.

Distimia

A distimia é conhecida, também, como depressão crônica leve. Os sintomas do quadro tendem a ser mais longos e podem durar anos.

Por ser tratar de um transtorno crônico, a distimia afeta, de forma significativa, a vida do indivíduos e as suas relações pessoais. 

A pessoa pode perder o interesse pelas atividades cotidianas, sentir-se vazio e desespero, ter baixa autoestima e, em casos mais graves, ter idealizações suicidas.

Ademais, apesar da distimia não ser considerado um quadro tão grave quanto a depressão maior, o quadro pode variar entre leve, moderado ou grave.

O estresse é, também, um dos responsáveis pelo desenvolvimento da distimia.

Transtornos Alimentares

No mundo inteiro, a cada ano, milhões de pessoas apresentam comportamentos disfuncionais caracterizados como transtornos alimentares.

Nos dias de hoje as preocupações excessivas com o peso e a aparência corporal, influenciando o comportamento alimentar, são um fenômeno generalizado e preocupante. Portanto, o estresse pode ser um fator para o desenvolvimento de um transtorno alimentar.

Assim sendo, os transtornos alimentares mais comuns são:

estresse

Quais são as causas do estresse?

Os estressores são as situações e pressões que causam o estresse. Em geral, as pessoas associam os estressores como negativos, como problemas no relacionamento ou trabalho exaustivo. 

Todavia, tudo que exige muito do seu físico e psicológico pode ser definido como uma situação estressante. O que resulta em eventos positivos, como nascimento de um filho, casamento, compra de um imóvel, promoções no trabalho e ir à faculdade.

Vale ressaltar que nem todo sentimento é causado por um fator externo. Ele também pode estar ligado com o autojulgamento ou a ansiedade, que são fatores internos.

Assim sendo, quando uma pessoa se preocupa excessivamente com alguma situação futura ou tem pensamentos pessimistas ou pensamentos irracionais, a pessoa pode se autogerar o estresse.

Por fim, o estresse irá depender principalmente da forma em que a pessoa o percebe. Logo, algo que pode incomodar muito uma pessoa, pode não gerar nenhum sentimento negativo em outra pessoa. 

Ainda, há ambientes e situações que provocam um estresse maior, como viver sobre pressão ou ter o hábito de procrastinar. 

As principais causas externas são:

  • ambiente de trabalho ou ambiente escolar;
  • problemas no relacionamento conjugal;
  • dificuldades financeiras;
  • responsabilidade por muitas tarefas e demandas;
  • filhos e família, e
  • mudanças na vida, como casamento.

Ademais, as causas internas podem incluir:

  • ser pessimista;
  • ter baixa autoestima;
  • ter vergonha;
  • ser rígido e inflexível;
  • ser perfeccionista;
  • achar que é ‘’tudo ou nada’’;
  • ter a incapacidade de saber perder e
  • ser muito imediatista.

Qual é o tratamento para o estresse?

O estresse faz parte da vida humana.  Não há uma fórmula mágica para se livrar desse sentimento para sempre.

Entretanto, há algumas formas de evitá-lo , como:

1- Faça exercícios

Pessoas que praticam atividades físicas tendem a ser mais calmas e relaxadas. Afinal, o exercício regular pode elevar seu humor e se tornar uma distração para os problemas do dia a dia.

O que permite que a pessoa tire o foco dos pensamentos negativos e consiga liberar o estresse.

Dessa forma, exercícios rítmicos, como dançar, correr, nadar ou jogar bola, são bastante eficazes no controle do estresse, porque a pessoa mantém sua concentração nas sensações físicas do exercícios.

2- Tenha vínculos sociais

Crie uma rede de apoio e de relacionamentos. Conecte-se com outros indivíduos. 

O ato de sair e conversar pessoalmente com outra pessoa pode liberar hormônios que diminuem o nível do estresse, principalmente, quando você está agitado ou inseguro. 

Logo, tire um tempo do seu dia para se cercar de pessoas que melhoram seu humor e não deixem que suas tarefas pessoais o impeçam de ter uma vida social. 

3- Aprenda a relaxar

Encontre técnicas de relaxamento que funcionem com sua mente e corpo, como:

  • ioga;
  • meditação;
  • acupuntura;
  • leitura;
  • respiração profunda;
  • alongamento e
  • musicoterapia.

Quando essas técnicas são práticas regularmente, elas tendem a reduzir os níveis do estresse e, também, aumentar os sentimento positivos, como a alegria e a calma.

Ainda, eles servem como aumento da capacidade de permanecer calmo sobre alguma situação de pressão ou tensão.

4- Tenha uma alimentação saudável

A forma como uma pessoa se alimenta pode melhorar ou piorar seu humor. Além disso, pode afetar sua capacidade de lidar com situações estressantes. 

Portanto, uma dieta cheia de fast foods, alimentos processadas e excesso de carboidratos podem piorar os sintomas do estresse.

Enquanto uma dieta rica em frutas, legumes, proteínas e vegetais garante, além de uma qualidade de vida melhor, uma personalidade mais alegre e ativa.

estresse

5- Tire um tempo para descansar

Quando uma pessoa está muito cansada, os níveis do estresse tendem a aumentar. Em virtude disso, é recomendado tirar algumas horas do seu dia para descansar o corpo e a mente.

Entretanto, pessoas com estresse crônico podem ter problemas sérios de sono. 

Por fim, caso você esteja passando por dificuldades para dormir ou descansar, há diversas formas de mudar esse quadro, como evitar o uso de eletrônicos antes de dormir e comidas pesadas antes de se deitar.

6- Busque ajuda psicológica

Antes de mais nada, é preciso reconhecer os sintomas. Em seguida, está na hora de buscar ajuda psicológica. 

O profissional da Psicologia irá avaliar seu caso e ensinar técnicas para não deixar que esse sentimento tome conta da sua vida. 

Dessa maneira, em casos mais graves, é possível que o terapeuta indique o acompanhamento de um medicamento psíquico.

Os remédios podem ajudar no controle dos sintomas e nas doenças associadas ao estresse.

O que é estresse positivo?

O ‘’eustress’’, como é chamado o estresse positivo, é geralmente um produto dos nervos, que pode surgir quando confrontado com um desafio divertido. 

Esse tipo de estresse é importante porque, sem a eustress, nosso bem-estar pode sofrer, afinal, ela nos ajuda a permanecer motivados, trabalhar em direção a objetivos e nos sentir de bem com a vida.

Dessa forma, trabalhar e viver fora da nossa zona de conforto é uma coisa boa, pois, quando nos sentimos sobrecarregados é que ele pode se tornar negativo, e é isso que faz do eustress uma parte tão importante de nossa saúde geral.

O eustress produz sentimentos positivos de excitação e satisfação, e é benéfico porque você se sente confiante e estimulado pelo desafio que enfrenta devido ao seu estressor.

Consequências do estresse crônico

A partir do momento em que ele se torna uma condição crônica e contínua, os efeitos e sintomas podem trazer consequências para a saúde. 

Normalmente, esses problemas são:

  • problemas psicológicos, como depressão, transtornos de personalidade e ansiedade;
  • doenças cardiovasculares, como pressão alta;
  • obesidade e transtornos alimentares;
  • problemas na menstruação;
  • problemas sexuais;
  • alterações hormonais;
  • problemas de pele e cabelo, como acne, psoríase e dermatites, e
  • doenças gastrointestinais, como gastrite e colite ulcerosa.

Aprenda a mudar o foco: sempre há um lado positivo

Se você continuar se sentindo sobrecarregado pelo estresse, procurar ajuda profissional pode ajudá-lo a gerenciar os problemas com eficiência.

Não tenha medo de procurar ajuda  ao sentir que não é mais capaz de lidar com esse sentimento sozinho. 

Muitas pessoas sentem-se relutantes em procurar ajuda, pois sentem que é uma admissão de falha, porém, é importante obter ajuda o mais rápido possível, para que você possa se sentir melhor, e o mais recomendado é iniciar uma sessão de terapia.

Assim, o psicólogo irá te aconselhar sobre o tratamento, alterando a maneira como pensamos sobre situações estressantes, e isso pode incluir o foco em aspectos mais positivos de uma situação e a reavaliação de seu provável impacto. 

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil.

Fábio Augusto Caló

@fabiocalo - Psicólogo pelo UniCEUB e mestre em Análise do Comportamento pela UnB. Atua desde 1998 como clínico, atendendo adultos e casais. Há duas décadas, tem realizado atendimentos, principalmente, na área da conjugalidade, da sexualidade e dos transtornos de ansiedade. Tem se interessado e pesquisado sobre assuntos atuais como "dependência de internet", "vício em pornografia", "traição online", dentre outros. É palestrante e instrutor de cursos de desenvolvimento pessoal e cursos dirigidos a profissionais da saúde.

Você deve estar logado para postar um comentário.

×